Mensagem da mamãe

Obrigado por nos visitar e volte sempre!!!

quinta-feira, 9 de dezembro de 2010

No Natal fique atenta aos presentes dos pequenos


Fiquem atentos aos presentes de Natal, afinal a data é para ser festiva, alegre e nada melhor do que evitar riscos desnecessários, né?

ONG Criança Segura aponta cuidados especial na escolha de presentes para o Natal

Com a chegada do Natal, a ONG CRIANÇA SEGURA alerta pais e responsáveis para alguns cuidados especiais que devem ser levados em conta no momento da escolha do presente das crianças. Alguns brinquedos podem causar lesões graves e representar perigo na mão dos pequenos. Os acidentes representam a principal causa de morte de crianças de 1 a 14 anos no Brasil.

Brinquedos oferecem diversão e contribuem para o aprendizado da criança. Mas alguns deles podem oferecer sérios riscos de acidentes, como sufocações e quedas. Para uma brincadeira segura é preciso ficar atento à presença do selo do Inmetro no produto, além de verificar na embalagem se determinada peça é indicada para a faixa etária da criança. A supervisão constante do adulto responsável também é essencial.

A sufocação é um dos acidentes que pode ocorrer no momento da brincadeira. É preciso notar se o brinquedo possui peças miúdas que podem se soltar. Na chamada "fase oral", as crianças estão explorando o mundo e tendem a fazê-lo colocando brinquedos e outros objetos na boca. Segundo o Ministério da Saúde, em 2007, 701 crianças morreram vítimas de sufocações. No caso de bebês com até 1 ano, é a sufocação a principal causa de morte em comparação aos outros tipos de acidentes. Recentemente, a CRIANÇA SEGURA lançou uma campanha para evitar a sufocação no ambiente doméstico, que pode ser acessada no endereço: http://crianca-segura.ning.com/page/campanhas-2010.

A queda também é um risco constante e a principal causa de hospitalização entre os acidentes com crianças de até 14 anos. Segundo o Ministério da Saúde, em 2007, 73.455 crianças foram internadas vítimas de quedas. Bicicletas, skates e patins devem ser oferecidos à criança acompanhados dos equipamentos de segurança como capacete, joelheiras e cotoveleiras. O local da brincadeira deve ser escolhido com cautela: longe de carros, piscinas e escadas.

Outros riscos: o uso de substâncias tóxicas como mercúrio e chumbo nos produtos e a presença de arestas ou formas pontiagudas podem causar intoxicação e ferir a criança. Os responsáveis também devem evitar produtos com elementos de aquecimento, como baterias e tomadas elétricas para crianças com menos de 8 anos, pois podem causar queimaduras. A organização dos brinquedos também é importante para evitar riscos. Brinquedos para crianças maiores podem ser perigosos para os menores e devem ser guardados separadamente.

A importância desta causa - Segundo DATASUS/Ministério da Saúde, em 2007 (dados mais atuais), 5.324 crianças de até 14 anos morreram vítimas de acidentes. A maior parte destes acidentes aconteceu no trânsito (2.134 mortes), seguido de afogamentos (1.382), sufocações (701), queimaduras (337), quedas (254), intoxicações (105), acidentes com armas de fogo (52) e outros (359). No caso das hospitalizações por acidentes, foram 136.329 no total, a maior parte delas por quedas (73.455 internações), posteriormente, acidentes de trânsito (15.194), queimaduras (15.392), intoxicações (5.013), acidentes com arma de fogo (551), sufocações (548), afogamentos (528) e outros (25.648). O acidente é uma séria questão de saúde pública que pode ser solucionada em 90% dos casos com ações de prevenção como a disseminação de informações sobre o tema, mudança de comportamento, políticas públicas que assegurem infra-estrutura e ambientes seguros para o lazer, legislação e fiscalização adequada.

A CRIANÇA SEGURA - A Criança Segura é uma Organização da Sociedade Civil de Interesse Público dedicada à promoção da prevenção de acidentes com crianças entre 0 e 14 anos. A organização atua no Brasil desde 2001 e faz parte da rede internacional Safe Kids Worldwide, fundada em 1987, nos Estados Unidos, pelo cirurgião pediatra Martin Eichelberger.

Para cumprir sua missão, desenvolve ações de Políticas Públicas - incentivo à discussão sobre o tema e participação nos diálogos referentes às mudanças e adaptações de instrumentos legais que visem a segurança, saúde e bem-estar da criança; Comunicação - informação e alerta sobre a causa para conscientização da sociedade por meio de campanhas e divulgação de assuntos de interesse público e Mobilização - promoção da sensibilização, conscientização e engajamento de muitas e diferentes pessoas visando à multiplicação da informação, a transformação do meio e a adoção de comportamentos seguros.

A CRIANÇA SEGURA conta com a contribuição de parceiros institucionais, como Johnson & Johnson e Johnson & Johnson Produtos Profissionais Ltda e parceiros de programas, como Band-Aid, FEDEX e Johnson & Johnson Industrial Ltda.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Não vai sair sem dar pitaco, né?