Mensagem da mamãe

Obrigado por nos visitar e volte sempre!!!

terça-feira, 8 de junho de 2010

Lojas não dão conta de demanda por cadeirinhas; prazo para multa prorrogado


Para alívio de muitas famílias pernambucanas, o Conselho Nacional de Trânsito (Contran) determinou nesta terça-feira (8) a prorrogação do prazo para a obrigatoriedade do uso de cadeirinha para crianças com menos de 10 anos nos veículos; inicialmente estipulado para esta quarta. Pais e mães estão enfrentando dificuldades em cumprir a regra; não apenas pelo preço dos produtos - de R$ 100 a R$ 500, em média -, mas, principalmente, pela falta deles no mercado.

A bibliotecária Cristiane Alberto, de 38 anos, já procurou em sete lojas (Atacado dos Presentes, Jurandir Pires, Extra, Carrefour, Hiper Bompreço, Americanas e Quarto Crescente), mas ainda não conseguiu comprar os assentos de elevação para os dois filhos Tércio, 7, e Tobias, 5. Na última loja, em Boa Viagem, Zona Sul do Recife, o estoque dos produtos acabou e, em apenas um dia, 10 pessoas colocaram os nomes numa lista de espera.

Contran prorroga prazo para uso de cadeirinha em carros
"Por enquanto não vou poder andar de carro com os meninos. Vai ter que ser de táxi ou de ônibus", disse antes de saber da prorrogação do prazo. "Eu fiquei horrorizada porque carros de transporte escolar não serão obrigados a isso", declarou a bibliotecária. A assessoria de imprensa do Detran-PE confirmou que a resolução é apenas para carros de passeio, mas garantiu que o Contran deverá rever essa questão.

De acordo com o representante da Burigotto em Pernambuco Mauro Lacerda, "a fábrica não tem atendido aos lojistas da forma que gostaria porque a quantidade de pedidos é muito grande". Ele estima que as vendas de bebê conforto, cadeirinha e assento de elevação em maio deste ano teve um aumento de 150% com relação ao mesmo período do ano passado. A previsão, segundo a representante da Infanti, Mariana Cahú, é de que a situação só se normalize em agosto ou setembro. "Um lojista que comprava uma quantidade x de produtos, está comprando 10x", declarou.

Com a resolução, lojas de bebês que não vendiam os equipamentos passaram a incluí-los na lista de pedidos. Este é o caso da Baby & Cia, na Boa Vista, Centro do Recife. "Somos especializados em móveis infantis, mas em função da procura constante por cadeirinhas e assentos vamos passar a vendê-los também", informou a proprietária Luciene Campelo. A representante Mariana Cahú acredita que os lojistas, a partir de agora, deverão investir entre 30% e 40% nesses produtos.

O novo prazo ainda será divulgado pelo Contran. A partir desta nova data, o motorista flagrado transportando crianças de até 10 anos no carro sem o equipamento de segurança correto vai ser multado em R$ 191,54 e ainda levar sete pontos na carteira de habilitação, conforme a resolução 277 do Conselho Nacional de Trânsito (Contran), órgão máximo de trânsito no País.

Fonte:
JC ONLINE

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Não vai sair sem dar pitaco, né?